Blog das Essências
Blog das Essências
Blog das Essências

Os bicos e os Adolescentes!

O que parece é que foram feitos um para o outro, sem tirar nem por. Em algum momento da adolescência, todos acabam por acreditar que a vida lhes deve alguma coisa. Que o mundo está devendo algo para eles, ainda mais que estão produzindo “agora” a obra da vida de sua vida, que será de alguma forma um avanço para a humanidade!

Ninguém é capaz de ver isso, e tudo e todos estão numa articulação maquiavélica, formando um grande complô para destruir seu poder criativo e assim como seu futuro é chamuscado; e teria tudo para ser simplesmente brilhante. Contudo, uma vez que todos teimam em puxar seu pequeno tapete, “jamais poderei sair disso”!

A veia dramática, sem dúvida, acompanha o biquinho! Faz parte, talvez… porque muitos deles são gerados por mães que não perdem por nada deste mundo um capitulo sequer das novelas de Janete Clair ou Glória Perez e seus verdadeiros dramalhões, nos quais choravam e emocionavam muito com uma das namoradinhas do Brasil, que interpretam estes dramas.

Então é assim, para o adolescente, nada foi tão importante assim na vida; mas agora que está sentindo certa inspiração, certa luz que até parece ser “divina”, vem alguém e poda, corta! Justo neste momento que até aquela velha inibição que impedia de existir tão livremente com suas artes, sumiu! “Agora que sinto ser capaz de expressá-las, e viver com intensidade dentro das minhas artes como realmente merecem, quando fluem, acabo boicotada”!

Em todo caso, não importa muito qual o caso, tudo se torna um caso para o adolescente que resolve se revoltar e ficar de biquinho! E só ficar repetindo, que o mundo não é justo e a vida é má! E que não se pode confiar em nada e em ninguém!

Como falta vivência e por vezes é falta de literatura para a grande maioria destes jovenzinhos, não se tem muito como argumentar com eles, o melhor e sair da frente para não tropeçarmos no bico e tocarmos a nossa vida. Afinal quando resolvem que devem continuar sendo mimados por todos mesmo que não sejam os seus “papais e mamães”, melhor deixar para lá.

Enfim cada qual tem sua própria época para amadurecer, as vezes irão “passar a vida querendo mimos” e isto sem dúvida lhes custará caro, afinal cada vez que o “mundo lhes disser um Não” – agirão como bebes chorões e bicudos, olhando sempre para o que os outros não lhes dão, e não para o que precisam e já podem fazer por si mesmos!

Com toda pompa e glória dos 20 e poucos anos, são … ou pensam que são os donos do mundo e da verdade, até que não possam fazer algo… então o mundo cai… e claro a culpa é do outro.

Crescer é bom, mas dá trabalho, leva tempo! É um trabalho artesanal, é aí que aprendemos a pensar e a sentir com “realidade” as coisas, todas as coisas. A entender que o mundo não está aí só para nos servir; que a vida é uma estrada de mão dupla. Sempre teremos arcar com o Ônus para chegarmos ao Bônus!

Infelizmente nesta relação não existe lugar para bicos… é aqui que crescer se torna imprescindível…

No sistema das ESSÊNCIAS D’ÁGUA existem algumas formulações que podem ajudar a passar por esta fase de forma mais calma e facilmente.

SERENIDADE e MATURIDADE são duas delas. A primeiras dissipa e toxidade das tristezas do adolescentes e MATURIDADE trará equilíbrio para enfrentar os problemas desta fase tão conturbada. Para saber mais veja aqui mesmo no site em em –  FORMULAÇÕES –

Para adquirir click em www.loja-essenciasdagua.com

Mosaico das Essências – Ternura.

Click para ampliar a imagem!!! *

TERNURA

Amorosidade, dedicação e compaixão!
~
Quem na vida nunca passou por uma situação e sentiu que o mundo estava contra si, só harmonia do pensamento pode restaurar a paz interior, o que poderá trazer mansidão e gentileza ao nosso coração. A compreensão de que o mundo não está contra nós, de que as coisas ruins não acontecem só conosco, nos faz olhar para as coisas e para nós mesmos, com mais tolerância, o que nos torna mais amorosos.

Tecnologia do abraço

cl_9623Gente, eu preciso reparar uma falha sobre este texto, nesta semana depois de muito tempo recebo um e-mail bastante “áspero” reclamando a autoria do mesmo!

O Sr. Luiz Madureira, talvez não tenha lido em outros textos que escrevo aqui no STUM e sempre me preocupo e procuro dar a autoria das frases ou músicas, imagem ou endereço de onde pincei a ideia para continuar a escrevendo.

Sr. Madureira não percebeu que este texto é muito pequeno – perto dos que geralmente escrevo, muito provavelmente recebi este texto maravilhoso por algum e-mail, sem a devida autoria.

Então a colocação do subtítulo “vocabulário do matuto mineiro”, deve ter sido a única referência que veio junto com ele;  por conta disso não tem a autoria do Sr. Madureira.

Um amigo me perguntou:

– como você sabe que ele é realmente o autor? Pois é não sei, respondi!

O que sei é este texto foi colocado no “AR”, aqui no STUM por ser muito expressivo e que precisava ser mais divulgado isso em 2008.

Por isso hoje 8/1/2016 – agora que o “Matuto Mineiro” se apresentou recoloco este texto com a explicação pertinente ao fato ocorrido.

Desejando a ele sr. Luiz Madureira a todos os leitores um grande e amoroso abraço!  

Vocabulário do matuto mineiro

O matuto falava tão calmamente, que parecia medir – analisar e meditar sobre cada palavra que dizia…
– É… Esta é a invenção dos homens, a que mais tem sentindo é o abraço. O abraço não tem jeito de um só aproveitar! Tudo quanto é gente, no abraço, participa uma beradinha….
Quando você está danado de saudade, o abraço de alguém te alivia… Quando você está com muita raiva, vem um, te abraça e você fica até sem graça de continuar com raiva… Se você está feliz e abraça alguém, esse alguém pega um pouquinho da sua alegria… Se alguém está doente, quando você o abraça, ele começa a melhora, e você melhora junto também…
Muita gente importante e letrada já tentou dá um jeito de saber por que, que é, que o abraço tem tanta tecnologia, mas ninguém inda descobriu… Mas, eu sei!
Foi um espírito bom de Deus que me contou… E eu vou contar pra vocês o que foi que ele me falou: O abraço é bom por causa do Coração…
Quando você abraça alguém, faz massagem no coração!…

E o coração do outro é massageado também! Mas num é só isso, não… Aqui está a chave do maior segredo de tudo:

É que, quando nós abraçamos alguém, nós ficamos com dois corações no peito!…

Então…

UM ABRAÇO
Pra você!

Novo exercício de autoconhecimento

Exercício de autoconhecimento –uma abordagem sobre a Síndrome do Pânico

PânicoUma Formulação para ajudar com a difícil Síndrome do Pânico  
Para seguir a proposta do Dr. Bach que diz:- Cura-te a ti mesmo – é essencial refletir antes, em como realmente sou ou como estou agindo e reagindo aos acontecimentos.

Para escolher melhor é preciso nos equilibrar; quando ponderamos os objetivos fica mais fácil visualizar que caminho seguir.

Então analise quais formulações podem ajudar a fazer o caminho para chegar onde deseja.

1 – As essências que compõe a fórmula que elegeu; estão descritas no site – www.essenciasdagua.com – leia mais sobre elas.

2 – Decida qual delas pode ajudar a equilibrar o que esta atrapalhando e impedindo de chegar lá.

EMERGÊNCIA é sempre uma boa OPÇÃO quando se esta sem saber que rumo tomar. Ela coloca nossos pés no chão, acalma o coração e alinha os pensamentos para darmos o próximo passo.

Quando se esta passando por momento de intenso medo, sem motivação aparente, que  levem a ter pensamentos de aflição extrema, angustia e de morte, como a que vemos nas já descritas síndromes de pânico.

Reverter este quadro não é nada fácil, por isso as quadro gotas da Fórmula da EMERGÊNCIA irão trazer a realidade de volta. Ou seja, nada do que esta fantasia de morte momentânea esta pintado é verdade, pode-se concluir isso e então a crise começa a abrandar.

Esta fórmula deixará com isto os pensamentos mais estabilizados, logo a respiração ficará bem mais compassada, então o coração voltará ao seu bater mais natuaral, a vida começará a ‘novamente entar nos eixos’, um suspiro profundo pode vir para fora aquietando de vez todo aquele desatino. 

Em seguida a indicação da FORMULAÇÃO TERNURA é bem-vinda. Afinal, é um composto que foi elaborado para trazer mais equilíbrio ao pensamento – restaurando a paz interior, traz bondade ao próprio coração, desfazendo aquela percepção de que o mundo esta contra nós.

As crises de pânico caracterizam em certo grau uma sensação de que  o mundo todo está contra nós, tal a vulnerabilidade que nos encontramos, por isso o medo de morrer, vindo de fora e logo a seguir as sensações de mal-estar físicas tomam conta – respiração ofegante, coração acelerado e pronto pânico geral.

Esta FÓRMULA TERNURA desfaz a sensação de vunerabilidade que estava e instalando, trazendo o equilibrio e a força do pensamento da realidade, com isso a percepção de que o mundo não esta contra nós.

Com a respiação mais ‘em ordem’ tudo volta a ficar mais no lugar também coração e pensamentos conseguem …digamos se entenderem… e a vida pode  voltar a funcionar…

Vovô e Vovó

imagesSA4QBKLM Amor dos avôs!

Um amor, sem dúvida… mas no mínimo diferente.

Que amor é este afinal, tão diferente e tão igual?

Talvez porque estejam amando desmedidamente pela segunda vez!

Tão intenso como mãe quando da primeira vez

e tão imenso e descomprometido como avó na segunda vez!

Hum…será mesmo???

Tão longe e tão perto, de repente?

Vamos lá…

Uma lenda, esta é de fabricação familiar – daquele tipo que crescemos ouvindo, e que não se não pode ter certeza total, pois lenda pessoal é formada por um punhadinho de lembranças, de um apanhado de verdades e pitadas de imaginação nossa e do “entorno”. Afinal cada um que conta a história para a criança conta com suas próprias impressões dos fatos e lendas pessoais também, daí o “imbróglio”.

O certo é que eu sonhava com uma avó, procurava por uma avó, e que com este desespero para ter uma avozinha chamava as amigas das minhas tias mais velhas de avó. Mesmo que nem fossem ainda senhorinhas, com idade para serem avós!

Parece que perguntava se era a minha avó. Então em um conselho de família para resolverem estes vexames simplesmente apelidaram a irmã mais velha de minha mãe de Avó. E assim meus grilos com a falta inconcebível de avó passou. Finalmente tinha uma para chamar de minha!

Tal a importância desta figura na vida de todos, que resolvi escrever sobre elas nesta data que se comemora o dia não das avós, mas dos avôs também. Para quem não sabe ou não lembra a aniversariante do dia 26 /julho é Santa Ana avó de Jesus. E São Joaquim o avô. e neste domingo comemoramos os dois juntos. Diz a folhinha!

De lá para cá já vi muitas avós, e avôs! Aqueles seres que realizam sonhos, já que a responsabilidade de criar, educar etc… é dos pais!

Por isso, os avôs se divertem mais e são leves no trato com crianças embora tenham seus limites, as avós por sua vez, tem outra postura, claro enxugam a baba “bem rapidinho”, para que possam ajudar com o bebê.

Porém algumas dessas avós começam ficando apavoradas com a possibilidade de não terem o mesmo coração amoroso e pronto para tudo que der e vier para os netos do mesmo modo que tiveram para os filhos.

O medo do novo, aquele que sempre nos assusta seja lá em que assunto for, e aqui porque deveria ser tão diferente? Afinal o bebê nunca viu a avó, e a pergunta é a mesma: – será que irá gostar de mim como avó? Será mesmo que existe isso de amor à primeira vista entre bebês e avós? Não deixa de ser um novo encontro. Será que vai gostar desta figura? Será que vai rir ou chorar ao vê-la?

Agora cá para nós existem avós que parecem ter nascido para tal, o papel lhes cai muito bem, como “papinha e fome”. São muito animadas e capazes de brincar e bagunçar como só mais uma das crianças. E não exatamente como uma “senhora de idade”, uma avó. É muito divertido ver isso e ouvir estas histórias entre netos, netas e avós.

Parece que sempre tem algo de inesperado, nelas tanto para as crianças como para as avós; que com mais experiência e visão de futuro, estas adoráveis criaturas podem ensinar com mais facilidade submetendo-se às brincadeiras do que quem precisa educar “vigorosamente”, onde existe “certa tensão no ar”.

O cuidado que todos os avôs precisam ter é do “Bubble Filter”, ou seja, ficarem obsecados pelo assunto, e a vida passar a rodar só dentro desta bolha que é o mundo dos netos. Se acabarem por esquecer todos os outros assuntos pertinentes a vida adulta acabam por se tornarem sem vida própria e quando ficam sozinhos se sentem vazios e cada vez mais necessitam de novas “coisinhas, “fotos e fatos”, gracinhas e gracejos, babinhas e tudo mais e mais, insistente e incessantemente de novidades dos bebes, o que nem sempre é possível por parte dos demais.

Isso pode se tornar muito doloroso, sofrido, angustiante, causando dor ao invés de trazer a alegria esperada só acrescenta aquela pitada de aflição diária, quando se espera notícias que não chegam.

A grande sacada afinal é apenas lembrar-se da necessidade de continuar tendo a vida que é sua, acrescida de uma  nova vida!

Ternura – É a formulação das Essências D’Água que vai manter seu coração batendo no ritmo e seu pensamento equilibrado, com paz interior mesmo sem tantas notícias, mas mantendo os corações em tamanho gigante para ambos!

Síndrome do Impostor

Quem já não se sentiu como impostor?

Deixe-me explicar para quem não ouviu ainda falar disso, pelo menos não com este nome.

maturidadeSíndrome do Impostor, (ou fraude) ‘fala’ sobre aquele sujeito que não merece o tudo de bom que está acontecendo na sua própria vida. Parecendo não ser capaz de internalizar os feitos que proporcionou em seu caminhar.

Isso acontece de repente, pode ser por um tempinho ou por longos espaços de tempo. Em verdadeiros estados de abominação ao sucesso que lhe pertence.

Nada importa que as provas de exclusiva competência sobre tudo que tem realizado sobre as suas ações venham a comprovar sua envergadura.

Muita gente importante de cinema se sente frequentemente desta forma. Uma destas celebridades que “sofre” com esta síndrome é Emma Watson a conhecidíssima atriz de Harry Potter, a Hermione Granger já declarou se sentir uma fraude!

Por algum tempo já chegou a duvidar sobre competência como atriz. Embora tenha crescido no set de filmagem e tendo recebido reconhecimento público por sua atuação não acredita em seu sucesso e como muitos ‘juram que foi pura sorte’ ou porque sabe enganar muito bem e que mais cedo ou mais tarde irão desmascará-la.

A ajuda divina também conta, os ‘padrinhos mágicos’ e até os bons ventos, bons tempos e tudo mais, jamais por seu próprio merecimento e esforço; estudo, dedicação, coragem e até mesmo valentia.

Ter prestígio ou ser merecedor dos dividendos do seu trabalho duro parece não ser levado em conta em tempo algum. Logo todo sucesso alcançado é ‘meio’ que desmoralizado uma vez que tudo veio dos céus ou pela infinita bondade de Deus. Como se o trabalho não tivesse sido seu de pôr as mãos para a obra funcionar.

Adivinhe de onde vem esta sensação, estes doloridos sentimentos de menos valia? Isso mesmo, todo este jogo faz parte da baixa autoestima, que por mais incrível que pareça está sempre à postos. Não importa qual profissão, qual idade e economias que tenha conseguido ganhar.

Fique de olho, se você vive dizendo que em todos os seus feitos foram ‘Graças ao Bom Deus’ e esquece de todo rala e rola que você teve para chegar no mais alto lugar do podium, alguma coisa está errada bem aí dentro de seu coração, com você mesmo!

Claro que Deus está por aí o tempo todo e como um grande pai torce por nós, sempre! Abre as portas e nos acolhe em seu Sagrado Coração. Mas aquele esforço é de cada um de nós que estamos aqui ralando para acertar, melhorar e fazer dar certo os nossos propósitos nesta vida.

Não se pode tirar os méritos de quem foi responsável pela escada dos acontecimentos favoráveis na vida, não se pode perder isso de vista. É preciso ter clareza sempre, que estas coisas acontecem e o puxar de tapete faz parte do nosso show. Mas se, isto é comum e nos pertence, é necessário lutar contra isso também. 

Fique atento, fique de olhos bem abertos… ao que você pensa, ao que você sente só assim poderá perceber o julgando pesado e errôneo que está fazendo de si próprio.  

Ajudinha extra? Se precisar essências d’água tem algumas fórmulas que podem muito bem dar aquela mãozinha que está faltando!

MATURIDADE – é a formulação que ativará seu lado mais sábio, mais sensatos, para orientar os pensamentos e assim ficará mais fácil seguir em frente e desfrutar de suas conquistas, todas elas, sem duvidar de sua capacidade.

Autoestima = sempre dá para melhorar.

Vamos lá, hoje escolhi escrever sobre autoestima. Sei que é um tema recorrente, ele vai e volta. Talvez por ser como

Clara closed

 a autoestima, ora está em alta ora nem tanto, mas sempre está presente.

Aqui vou escrever algumas coisinhas que podem ajudar muitos de nós de quando em quando a dar uma peneirada no que esta pesando e levando a autoestima lá para o fundo da bota.

Muito desta baixa autoestima vem de certos pesos que nos destroçam, e a alma vai junto. Uma delas é prestar muita atenção no que os outros estão falando ou pensando sobre nós; mais do que nós mesmos conseguimos pensar e elaborar a nosso respeito. Ah, como é duro isso!

Refletir sobre nós é um exercício, e deve ser realizado sozinho. Para podermos analisar com a devida prudência ambos os lados, o lado sombra e o lado luz. Pense, faça listas, compreenda bem seus lados, você é muito melhor que qualquer outro para fazer isso, aqui sua sinceridade ajuda.

Aproveite e valorize esta atitude nesta sinceridade, não se assuste com a sombra saber que ela esta aí é o primeiro passo, é poder colocá-la em custódia, é cuidar dela.

Sonhe! Sem sonhos não há o que se realizar! É preciso esperar coisas da vida, só assim você irá atrás de algo. Sonhar é ter metas, é estar ocupado, é ter o que pensar, é ir buscar soluções para que o sonho seja realidade. É quase como ter esperança…

Como pessoa única que cada um de nós simplesmente – é, qualquer realização é possível, e é por isso que não podemos permitir que os outros saibam mais de nós que nós mesmos! Afinal o caminho quem faz é cada um de nós, a mãe pode sonhar para a Clara um futuro; mas quem irá realizar a vida, o sonho, a meta, quem andará pelo caminho?

As pequeninas coisas que nesta mesma idade da Clara valorizamos precisam continuar a fazer eco em nossas vidas durante a vida toda. Sem valorizar as minúcias do cotidiano muito provavelmente esperaremos por milagres a vida inteira. Ou então andaremos atrás de um colírio alucinógeno qualquer muitas vezes por dia e pior… encontramos!

O propósito da sua vida tem que ser seu, dá para entender bem isso? Não é da mãe, do pai, da família ou sabe-se lá de quem. O propósito da sua vida precisa ser seu e ponto final!

Isso é fundamental, caso contrário não vai funcionar. O sentido para fazer o que se faz, sacrificado ou não, dolorido ou não, feliz ou não, saboroso ou não, é seu. É preciso gostar do que se faz. E há que ter amor por aqui!

Mas amar o que faz. Abraçar o que faz, com o coração, mesmo sabendo que pode demorar e muito para funcionar, mas é sua meta, seu sonho; então você vai em frente. Entende porque é preciso ser sua a escolha? Caso contrário você acaba caindo fora. Ou se desgostando de quem lhe indicou este sonho que virou um “pesadelo”. E a autoestima… se foi… pois quem tem boa autoestima vivendo um sonho ou uma vida que pertence a outro?

A meu ver e o mais desafiante agora é o que existe em qualquer esquina, a negatividade! Em cada fresta de porta e janela. Isto é de nos deixar arrasados. A cada minuto um pensamento negativo passa por nós como uma leve brisa. Contudo é o suficiente para jogar por terra todo o trabalho que fizemos por um bom tempo.

Como deixar de lado esta negatividade que anda solta por aí? Uma forma é nos desligarmos do automatismo ao qual estamos absurdamente ligados.

Pensar no que se pensando não é fácil, e sair do automático e poder ter a autoestima em um patamar mais estável, durante um tempo maior, aqui está o caminho! Precisamos ter uma autoestima que “esteja a favor”, então se lembre de que ninguém tem uma autoestima em alta sem construí-la. Nossa formação judaico-cristã jamais permitiria. Por isso é necessário primeiro conquistá-la e depois conservá-la, e isso dá trabalho, faz parte do crescer!

Vamos lá, não perca mais tempo, arregace as mangas e mãos à obra; sempre é tempo! Se precisar de ajuda, as Essências D´Água tem uma formulação que mexe nesta área da vida. AUTOESTIMA. Despertando a valorização pessoal – equilibrando aquelas apreciações e duras criticas que fazemos sobre nós, que só nos deixam ainda mais aborrecidos.

Mudar de faixa vibratória não é fácil, leva tempo e é preciso atenção. Um olhar mais carinhoso será capaz de avaliar melhor nossas condições sem exageros e estresse.

Pela loja virtual você pode comprar no conforto e segurança de sua casa – 
click – www.loja-essenciasdagua.com 
http://www.essenciasdagua.com/formulacoes/autoestima.php 
 site – www.loja-essenciasdagua.com

Que presente você quer ganhar no seu dia?

o sopro e a flor

o sopro e a flor

Que ALEGRIA irá lhe dar?

Afinal mais um ano se passou e outra mais uma vez é o Dia da Mulher e você não vai ficar aí esperando que alguém chegue em casa com um ramalhete lindo de flores, amarelas, coral /que são lindas ou as vermelhas da paixão, não é?

Quantas coisas você já faz para você por você mesma todos os dias? Então por que justamente neste santo que é o Dia Internacional da Mulher, você irá ficar sentada esperando que alguém venha e lhe ofereça flores?

Tudo bem se mais um buque de lindas flores chegar, uma caixinha de bombons extra aparecer, uma joia a mais, tudo isso será incrivelmente maravilhoso é bem-vindo… e maravilhoso a todas nós… não é mesmo? Contudo, aprender a se presentear faz parte do processo de crescimento pessoal. 

Reconhecer o lugar que se ocupa e o quanto se trabalha por ele e para ele é de suma importância. Valorizar cada passo dado no caminho é avançar alguns passos a mais nesta estrada longa que viemos desbravando desde que deixamos de pilotar ‘apenas o fogão’ para estar trabalhando em posições inimagináveis a poucos anos atrás. Galgando postos em profissões e que não se permitiam sequer pensar, quanto mais estar empossada no cargo.

É e você em casa chorosa porque ninguém lhe ofereceu flores! Pois é… que ironia…no seculo XXI, nem você mesma foi capaz de perceber o caminho que as mulheres fizeram dos séculos, dos tempos, não é mesmo? E através da vida, da sua própria vida. Pare um pouco para pensar, neste caminho que fez.

Passo a passo, tropeço a tropeço, erro a erro, e de acertos em acertos até chegar onde está hoje. Não que o caminho acabe aqui, longe disso.

O caminho nunca acaba, me parece claro isso. Vá lá saber, quantas vidas mais teremos… bom isso é uma outra história e não é bem este o caso para se discutir neste momento. 

Mas é desta vida que chegou no ‘aqui / agora’ que é bom pensar, e o quanto ela, ‘a vida’ que você tem vivido merece um bom e bonito ‘Vale Presente’ seu.

Primeiro o seu presente para você como reconhecimento, dos acertos e erros que são os pontos onde simplesmente todos precisamos melhorar pelo menos um pouquinho todo dia, certo? E quanto aos extras… bom os extras… são os extras e destas coisas nem precisamos falar delas, afinal estas coisas foram feitas para serem curtidas… e quer saber… muito…

AS ESSÊNCIAS D’ÁGUA traz hoje o sopro de um anjo para comemorar este dia e mas na verdade é para nos lembrar que o poder transformador esta em nós e com isso conseguimos colocar flores pelo caminho no qual passamos seja este caminho qual for.

Seja Feliz neste dia da Mulher!

Seja Feliz Mulher!

Seja Feliz em ser Mulher, afinal isso não é para qualquer um, não é mesmo?!

Quer uma ajuda ? Uma ALEGRIA extra?  Fácil – Fácil – http://www.essenciasdagua.com/formulacoes/alegria.php

Temperos da Vida : o Sal e o Amor.

Clara Bebe Feliz

Clara Bebe Feliz

O sal acompanha a vida humana desde que descobrimos como dominar o fogo. Pois foi com ele, o fogo, que deixamos de temer a escuridão da noite, e começamos a cozinhar os alimentos ao invés de comê-los cru. O cozimento dos alimentos modificou totalmente a gastronomia da raça humana e a forma de prepará-los em um mundo que digamos, começava a civilizar-se! O cozimento acabou por tirar o sabor ‘salgadinho’ natural dos alimentos; a carne, por exemplo que tem o sabor levemente salgado dai em diante precisou de um ‘aditivo’. A partir desta época passamos, a procurar como raça por um condimento que recolocasse aquele saborzinho perdido no preparo dos alimentos cozidos. Depois disso, tornou-se extremamente difícil passar sem o sal que dá vida, dá sabor aos pratos que façamos na cozinha. Tudo que se coloca um ‘salzinho’ sempre fica muito melhor, pelo menos para o meu paladar. Se é o sal que dá sabor a nossa comidinha do dia a dia ou aos pratos tidos como gourmet, ou dos master chef, é o amor que dá sabor e permeia as relações humanas e que nos leva e nos prende às mesas de almoço e jantar. Ao almoço demorado de domingo na casa da mãe, da avó, na chácara do tio, no quintal da comadre. Seja no churrasco, na feijoada, na ceia de Natal, ou mesmo na tigela de pipoca durante a sessão da tarde … O sal e o afeto andam juntos também, não só o açúcar! As relações de afeto, e de amor são entrelaçadas pelas refeições, as cozinhas da maioria das casas sempre foi a maior parte da casa, pelo calor do fogão, pela facilidade e claro e pelo prazer de comer! Hoje temos os espaços gourmet, nos novos apartamentos, que são pequenos mas que com um jeitinho daqui e dali descobriram que a varanda poderia ser transformada na continuação da cozinha e área de alimentação familiar. Embora os espaços estejam cada vez menores e as famílias já não sejam tão numerosas como antes, o sal continua nas mesas e ainda bem que o amor está no ar . O mundo parece estar “desabando” tantas são as mortes – atentados – execuções – desajustes e desajustados – a vida não vale mais que um celular – aquecimento global – falta dágua – falta luz – eletricidade – grandes rombos nos cofres públicos – políticos safados – um pacotão situações sufocantes – as bruxas estão a solta pelo planeta como um todo. Ah.. mas o amor! Este sentimento simplesmente desconhece ou dribla com uma facilidade brilhante todos os desastres iminentes do mundo como um todo e continua acontecendo, continua se achando por todo lado é possível encontrá-lo… Ah os apaixonados … estes … continuam romanticamente se casando, e tendo em mente um forte propósito de que o amor é o salzinho que dá sabor a vida, sem pensar na história dos quilos de sal que se precisa comer junto até que o casamente realmente dê certo. Apaixonados casam e felizes pretendem formar suas famílias, trazer para este mesmo mundo que desaba crianças que podem ter uma visão melhorada do que fazer com o pouco que lhes estamos deixando. Pimpolhos como os filhos de Leandro que acaba de se casar, e que sempre teve o forte propósito de constituir família breve – brevíssimo! Isto esta enraizado nele, com tal força que traz gravado no corpo e alma os nomes dos pais com a mesma dinâmica da família que constrói alicerces firmes para uma sociedade que carece de bases como esta. Parabéns querido professor! Ou crianças como Clara que chegou chegando, cheia de luz e sorrisos de alegria simples e sincera, fácil e doce. E que com seus poucos meses, já está a nos lembrar que existe sim, muito mais do que nossos olhos podem ver e nossas mentes possam imaginar. Crianças que vem com mentes mais abertas, com espíritos mais elevados em relação ao rumo que darão à vida na Terra que herdarão. Crianças cristal, crianças índigo e tantas novas conotações que lemos sobre a nova geração de pimpolhos diferenciados que estão vindo para resgatar o planeta de um possível colapso. Por isso cada vez que vemos um casamento, um nascimento em meio a todos estes acontecimentos do momento de crises naturais como neve nos EUA, seca em SP, onde o chão rachado mais parece as entranhas do longínquo o sertão do Piauí, seca na nascente do Rio São Francisco… quem poderia imaginar? Degelo do Ártico, e por aí afora; precisamos parar e dar graças pois existe alguém mais forte, mais capaz e ver além, de acreditar que é possível sim, uma solução. A verdade é que o sal continua temperando o alimento que comemos, mas… mais verdade ainda é que o amor… Ah o amor, este continua temperando a vida!

Os Apuros de São José

DSC00075

HOJE 06 DE JANEIRO 2015 – DIA DOS REIS – me lembrei deste texto e resolvi colocá-lo aqui em homenagem aos Reis Magos.

 Os apuros de São José. por Cássia Marina Moreira – info@essenciasdagua.com Os apuros de São José Há dois anos e meio meu pai não fala uma palavra, foi depois que precisou fazer uma traqueotomia. Homem de poucas palavras havia melhorado muito em suas relações familiares e sociais depois do AVC em 1999. Mas com a colocação da traqueotomia; calou-se de vez. Seus olhos nos dizem se nos quer ou não por perto. Com esforço consegue abri-los, quando pretende participar do que estamos conversando ao seu redor. Muitas vezes ri das piadas e das conversas a ponto de perder o fôlego, mas na maior parte do tempo, o silêncio impera. Como estamos na época de Natal, e resolvi contar-lhe uma história, um pouco para animá-lo com a data e os preparativos assim como para lhe dar meios de fantasiar ou talvez checar a minha versão do nascimento de Jesus. Comecei por onde me lembrava; a necessidade do casal viajar até Jerusalém para participarem do grande senso organizado por Herodes, o rei. (Rei este que mandou matar todos os recém-nascidos e primogênitos das famílias de lá ou as que ali chegassem com o intuito de matar aquele que nasceria para “roubar-lhe seu trono”, (bom, mas isso é outra história). José obedecendo às ordens reais selou seu burrinho, acomodou o melhor que pode Maria no lombo do animalzinho, e lá se foram. Uma viagem longa e cansativa, e para quem estava a espera de dar a luz um pouco pior. Ao chegarem à cidade foram logo procurar um lugar para passarem a noite. Uma estalagem qualquer para que Maria pudesse descansar em uma cama mais agradável depois de tantos dias e noites de estrada. Por conta do censo todos os lugares já estavam ocupados, não restava nada, nenhum quarto que alguém pudesse dispor para o casal. José toma uma decisão corajosa de sair da cidade e procurar nos arredores algum lugar onde pudessem finalmente descansar e dormir abrigados. A lua já ia alta quando encontraram uma manjedoura, não tão perto da cidade, e foi ali mesmo que José e Maria resolveram parar para dormir, afinal no dia seguinte teriam de voltar para lá a fim de participarem do censo. Não tarda para que Maria sinta as dores do parto, e nos exatos primeiros momentos do dia 25 de dezembro, nasce o primeiro filho do casal, a quem derem o nome de Jesus, (talvez não tão robusto como o desta foto). Na manjedoura só estavam eles e os animais que por lá se abrigavam. Mas não demorou muito para aparecerem os três reis magos. Que vieram de muito longe seguindo por meses uma estrela muito brilhante, que agora estava parada bem acima da pequena manjedoura. Trouxeram na bagagem – mirra como presente e depositaram aos pés do berço de madeira e palha improvisado para o recém-nascido. Todos trouxeram alguma coisa para Jesus, mas na hora só me lembrava da mirra. Neste momento a narração desta história ficou bem mais interessante, pois só me lembrava dos nomes de Baltazar, e Belchior, mas o nome do terceiro rei foi complicado. Não sei por que cargas de água, eu passei a chamá-lo de Ananias, Perguntei para meu pai, se ele lembrava ou se sabia se era este mesmo. Ele sentado em sua poltrona, só ouvindo a minha história até então; se incomodou. Ninguém mais que estava na casa no momento lembrava. Todos pensaram que Ananias era um nome nada convincente. Um bombeiro amigo da família tinha este nome, mas não o terceiro rei mago, a bem da verdade me lembrei deste Sr. Amigo de meu pai pois na época de Natal nos idos tempos das festas em famílias ainda com minha mãe vivíssima e no comando, ia com ele buscar o cabrito para a ceia do dia 25 de dezembro. A inquietação de meu pai continuou, com esta parte da história, pois para nós crianças de então era tão esperado e o Natal, e sua agitação naquela casa naquela época, mas para ele um ser avesso a festas, só comer cabrito já estaria de bom tamanho. Porém sua abertura de olhos me mostrou que se lembrava do amigo e da época. Fiquei imaginando se meu pai afinal não se lembrava do terceiro nome, e me propus a ajudá-lo com a “traqueo”, mas não saiu nenhum som. Então precisei sair, pedi que aguardasse que na volta continuava a historieta. Foi o que fiz terminei a história. Já lembrando com a ajuda dos demais; que os outros presentes levados a Jesus foram o incenso e ouro, embora para mim, mirra e incenso sejm a mesma coisa. Foi quando num estalo ao retomar o fio da meada me lembrei de Gaspar. Assim terminamos a história do nascimento de Jesus, na manjedoura, com presentes e reis; além dos pastores que também foram atraídos pela mesma luz brilhante daquela estrela que agora estava parada bem naquele lugar, acima de suas cabeças. Talvez na próxima vez conte outra história, outro grande Apuro de José – a fuga de José para o Egito. Não sei talvez seja melhor ler um pouco antes para evitar confusões. Ao terminar a história falei com meu pai, sobre a importância do nome do pai dele José Maria, e por conseqüência do dele Antônio José, nascido no dia do Santo (Antonio), carrega o nome do pai e o do pai de Jesus – São José que é o padroeiro e protetor da família.

(Este texto foi colocado no STUM – Somos Todos Um – em 22/04/2012)