Blog das Essências
Blog das Essências
Blog das Essências

LOUCURA ANUNCIADA

Loucura Anunciada!

Google imagens

Ou seria melhor dizer – Brasil! Uma loucura…há muito anunciada!

Depois de algum tempo sem ver e ouvir telejornais, resolvi assistir. Nossa, fiquei de boca aberta. Foram tantas as notícias chocantes que me arrependi.

1º foi o decretado a privatização de partes do SUS proposta pelo presidente, pensei Jesus deu a louca em Brasília, e com isso acertado estaremos no fim da picada. 

2º O próprio presidente desfez seu decreto, esta proposta foi assim… – Tipo brincadeirinha… Senhor, tende piedade!

Logo depois o dólar dispara chega a R$ 5.76 – a bolsa despenca tudo por conta da 2º onda do Covid19 na Europa. A Bélgica precisando de leitos na Alemanha por conta do número de internações. 

500 mil casos em 24 horas, agora matando os mais jovens por lá. O “lockdown” é decretado em vários lugares por lá. 

Então quando anunciaram a notícia que uma boca de fumo no Rio de Janeiro, ganhou geolocalização, pensei :- agora danou-se de vez! Só que não, tinha mais.

EUA em uma quase guerra civil;  policiais brancos matam outro negro com 10 disparos, outra convulsão urbana surge, com quebra-quebra e saques por toda parte.

 Em Brasília ninguém faz nada enquanto não liberarem a votação para um 2º mandato do presidente David, que luta sem ‘sua funda’ contra um Golias muito mais poderoso que o de então. 

E no final, ANVISA libera compra de insumos para que a vacina contra Corona vírus seja fabricada pelo Butantan, só que sem a liberação, ou seja, pode fazer aqui, mas não será por isso que lhe daremos a licença, sem que seja resolvida a pendência das pesquisas.

Ou seja, com mais de 158 mil mortes por corona e a tendência de alta em três estados. Nem saímos da 1º onda e já estamos entrando com tudo em outra onda.

Com tudo isso, melhor esquecer os telejornais por mais um tempo. pois com todas estas notícias realmente o mundo esta enlouquecido.  

Enquanto isso a primavera vai se instalando devagar, devagarinho… um dia com temperatura de 32º e no outro depois de uma chuva “tipo de verão”, a temperatura cai a 19º ou menos,  e é preciso usar a mantinha novamente.

A pergunta é:- Precisamos de mais alguma coisa para enlouquecer, durante esta pandemia? Ou seria Pandemônio estruturado do BR?

O DILEMA DAS REDES

Este é o documentário do momento, esta fazendo sucesso pois alguns dos ex-funcionários das mais famosas e poderosas redes sociais resolveram contar como é feita a manipulação por trás destas firmas.

Somos suscetível a todo e qualquer tipo de atenção, afinal desde o nascimento até um bom tempo depois, precisamos das relações humanas para sobreviver. Ficamos muito tempo ‘na mira’ direta de quem nos dispensa muito tempo e atenção para que possamos ter conforto físico e emocional; seja pelo alimento, sono, asseio e boas doses de carinho e afeto. 

Na maioria das vezes é justamente através da atenção que nos dispensam que nos tornamos seres sociais, nos reunimos desde sempre em grupos para uma infinidade de situações. Isso desde que o mundo é mundo. 

Neste documentário estes ex-funcionários e mais alguns tantos professores de comunicação e informática nos contam que as redes sociais usam o mesmo procedimento. Afinal têm sistemas operacionais que “sabem”o que nos chama mais atenção e assim providenciam tais coisas.

Por exemplo, quem nunca passou por isso – se nos detemos pesquisando valores de uma torradeira, misteriosamente todas as lojas que vendem este tipo de torradeira começa a enviar vários modelitos e preços desta mesma torradeira.

Estas redes sabem de tudo, até mesmo o que não gostaríamos que ninguém soubesse. As explicações dadas por eles é simples o tempo de atenção que precisamos. 

Dá mesma forma quando damos um “like” em um determinado assunto, somos “fisgados” e passamos a recebem temas relacionados a ele.

Os atrativos que nos detém por mais tempo ligados na rede para eles é ‘dimdim’ no bolso, e nós ficamos cada vez mais presos, nestas redes de identificações.

É na verdade um mundo mágico que existe por trás destas redes sociais, que ao mesmo tempo nos dão muita atenção através dos “likes” que recebemos daqueles que fazem parte da minha, sua e nossa rede pessoal, ou através destes ‘posts’ que aparecem enquanto estamos navegando.

O incentivo para cada um é a atenção que nos dispensam, para eles da redes é o quanto somos capazes de adentrar neste emaranhado de grupos e assim nos perpetuamos plugados naquilo que eles indicam.

Ivan Petrovich Pavlov, nos demonstrou que através do reforço negativo ou positivo conseguimos aprender ou ensinar qualquer coisa a qualquer um.

Os ratinhos brancos de laboratórios “sabiam” que existia duas alavancas na gaiola em que eram colocados após x’s horas sem água e assim que entravam na caixa experimental rapidamente se dirigiam a alavanca certa. Afinal já haviam entendido que a outra estava seca.

É o mesmo princípio que é usado nas redes sociais, não duvide nem por um momento disso. Nos condicionam para clicar ‘like’ ou não a cada post que recebemos, sejam da nossa rede ou da rede dos  “amigos” que nem sempre conhecemos. 

Mas como sempre precisamos de ‘likes’ o tempo todo corremos atrás deles, quem não gosta de receber ‘likes’ quando posta alguma coisa em qualquer lugar da rede. Lembre-se de que quando era criança recebia ‘likes’ da mamãe também sempre fazia algo que estava de acordo com o ensinamento dado por ela. Na escola recebíamos ou recebemos ‘likes’ dos professores, na minha época tinha a estrelinha, tirar 10 era uma coisa, agora 10* era o máximo. 

Somos todos condicionados e queremos mais é receber “likes e mais likes” por todas as coisas que fazemos. Só que no momento as redes trouxeram algo extra e imediato que dá aquela levantada em nosso astral, logo nos submetemos. 

Não é crime querer atenção ou gostar de atenção e problema que estes ex-funcionários das redes sociais levantam é para que passemos a pensar a respeito deste assunto; assim como ter consciência de com nos conduzem estes poderosos instrumentos da internet. Mais nada! 

Se a Autoestima esta somente ligada aos “likes da rede”, isso é um sinal perigoso. Afinal para ter Autoestima equilibrada é preciso olhar para para dentro de nós e não para o que dizem as redes sócias sobre nós. 

Da mesma forma não podemos pensar que a “vida” que o cola nestas mesmas redes seja só sorrisos e comidinhas legais, brincadeiras e passeios em lugares de arrasar.  

2* EDIÇÃO – demora mas … A ficha cai

TUDO tem dois lados, às vezes me parece que é isso que a vida quer nos mostrar, abrindo uma janela no tempo e no espaço, para que possamos vislumbrar como as coisas realmente são e como as coisas mudam e muito, como nada é tão somente de um jeito só.

Pois bem, aconteceu comigo, há algum tempo atrás; tive um sonho certa vez e quis muito que outra pessoa sonhasse o meu sonho comigo. (Escrevi sobre isso aqui no STUM, com o titulo:- Demora, mas a ficha cai).

Agora, este texto se trata da exata mudança de posição.

Quando a situação se inverte!

E é justamente a outra pessoa que tem um sonho, e só porque o tem, acha justo que você o sonhe juntinho com ela. Caso isso não ocorra a coisa neste momento muda mesmo, aquilo tudo que você queria muito ter respeitado como sendo justo e imprescindível no caso dela, agora não é mais, já que o é para mim.

Veja você! Agora preciso muito, preciso mesmo sonhar o sonho que não é meu.

Caso contrário eu vou acabar sendo aquela Bruxa Má! É aquela mesma que vai “ferrar” a outra pessoa! Isso acontece sempre, muito mais do que se pode imaginar e cá para nós, a verdade é que nem precisa ser um grande sonho, basta você deixar de fazer alguma coisa, que a outra pessoa quer que você faça para ela. Porque para ela é importante e pronto, e é aí que a confusão esta feita.

Como esta se dizendo muito nos dias de hoje:- “O pau que bate em Chico não bate em Francisco”.

O que até então deveria ser “lei” passou a não valer mais.

Bom “a fila andou” só isso! Porém a visão do outro é que são elas! Ninguém é capaz de saber o que o outro sentirá com o que você diz.

Você sabe exatamente o que esta dizendo, todavia, nunca poderá ter certeza do que o outro ouvirá. E ainda mais o que fará com isso. No texto original 1ª Edição – conto como fiquei sofrendo e por um tempo enorme tentando fazer com que outra pessoa passasse a ver com meus olhos aquilo que só interessava a mim mesma. Foi maravilhoso pelo menos para mim, ouvir esta frase:- “você não pode querer que o outro sonhe o seu sonho!”

Nossa… caiu ou calcou como uma luva, esta simples frase, mas isso foi para mim. Agora como escrevi, estou vendo o inverso acontecer, sem mais nem menos, de repende virei uma bruxa má, aquela que quer detonar, a demoníaca, por deixar de rezar pelo mesmo terço, por não querer mais ler na mesma cartilha. Por deixar de sonhar aquele sonho que na verdade é só de uma outra pessoa…

Que coisa… não é? Quem sonha o sonha que é seu? De quem é o sonho que você agora passou a sonhar, senão só seu?

A braveza que vem do outro, por você não querer fazer parte dos seus sonhos, brota com força, dá pulos e engrossa com os palavrões, e assim por diante, quase fazendo biquinho também…O que fazer? Não sei, sinceramente não sei se temos muito que fazer quando se trata de ir contra ao que o outro quer sempre é um caso delicado.

Mexemos com sonhos que não são os nossos causa conflito, sofremos mesmo até conseguirmos entender que as nossas coisas são independentes das coisas do outro. Isto inclui os sonhos também. Como já escrevi, fiquei sofrendo um tempão até conseguir digerir a realidade que separava o meu sonho do não sonho da outra pessoa. E então viver bem com isso, e viver de bem comigo apesar disso.

Não, não é fácil. Demora digerir, mas dá para ser feito, sem ter que se jogar no chão e bater os pezinhos ou “xingar” a outra pessoa, ou mesmo pensar que ela quer “ferrar a sua vida”.

Maturidade foi a formulação que escolhi para o problema apresentado no primeiro texto e certamente é para esta situação também, pois sem amadurecimento não teremos chance alguma de deixarmos o outro ser quem ele realmente é; sem que isso caia como uma bomba em nosso colo cada vez que a atitude dele não vier de encontro as expectativas que esperamos dele.

Crescer leva tempo é artesanal, e é neste crescimento que formulação maturidade nos ajuda!

Inveja branca

Isto existe mesmo? Melhor começar com o que é inveja. Segundo nosso estimado Aurélio Buarque de Holanda Ferreira, no minidicionário, diz o seguinte: aqui temos duas das definições dadas por ele.

1. Desgosto ou pesar pelo bem ou felicidade de outra pessoa.
2. Desejo violento de possuir o bem alheio.

Bem é assim que tudo começa. Com o desejo de ser o dono daquilo que pertence a outra pessoa.

O mais interessante de saber é que foi Santo Agostinho o primeiro quem elaborou uma frase que dá uma ideia bem “atraente” de inveja, está em Latim – o que anda bem na moda ultimamente : Video, sed non invideo, ou seja, vejo, mas não in-vejo. A inveja tem nexo com o ver. “Se vejo, posso invejar”. “Se vejo, devo não in-vejar”. Ver e não invejar seria o mérito daquele que vê. Ora, a inveja nasce do desejo de se ter o que o outro tem! Esta pauta foi tema na revista Vida Simples em dezembro de 2006.

Confuso? Nem tanto! Vou contar de onde ele tirou isso. Foi da observação de Santo Agostinho, que percebeu pela primeira vez a vinculação da inveja com a constituição primeira do ser humano.

Escreve ele sobre a inocência dos pequeninos que logo de primeira mão ambiciona os seios da mamãe, e depois quando um pouco mais velho percebe o irmão menor se tornar o dono dos seios que eram seus e imediatamente é tomado pela inveja. Foi assim que a inveja acabou sendo descrita.

Agora vamos voltar para a inveja nossa de cada dia. Se a inveja nasce do desejo de ter algo que o outro tem e eu não, será mesmo que a cor importa?

Colocar cor na inveja irá deixá-la melhor? Como assim? 

Parece-me que não importa a cor. A meu ver não necessariamente é querer algo material que o outro possua, penso que bem pode ser uma forma de ser deste outro ser. O como ele – este outro – encara a vida, o como “leva” a vida. Por vezes esta leveza com que é capaz de viver as coisas do dia a dia; pode bem deixar alguém com uma inveja danada.

A meu ver não existem muitos tipos de inveja, existe sim muitas coisas para se invejar além dos bens matérias que os outros possuem.
Então vamos lá… como resolver este problema? Inveja é um problema? Ele tem mesmo solução? Precisa de solução? Bom, cada qual precisará pensar muito a respeito se quiser aprender sobre a sua, e decidir depois se vai deixá-la de lado ou não.

Espumar de raiva e inveja atrapalha a vida, azeda o dia e com o tempo até a alma. Vai fazendo parte da vida diária e só pode trazer coisas ruins. Então como vemos não importa a cor.

O certo é que é por isso mesmo que é bom ter cuidado com ela!

Novo exercício de autoconhecimento

Exercício de autoconhecimento –uma abordagem sobre a Síndrome do Pânico

PânicoUma Formulação para ajudar com a difícil Síndrome do Pânico  
Para seguir a proposta do Dr. Bach que diz:- Cura-te a ti mesmo – é essencial refletir antes, em como realmente sou ou como estou agindo e reagindo aos acontecimentos.

Para escolher melhor é preciso nos equilibrar; quando ponderamos os objetivos fica mais fácil visualizar que caminho seguir.

Então analise quais formulações podem ajudar a fazer o caminho para chegar onde deseja.

1 – As essências que compõe a fórmula que elegeu; estão descritas no site – www.essenciasdagua.com – leia mais sobre elas.

2 – Decida qual delas pode ajudar a equilibrar o que esta atrapalhando e impedindo de chegar lá.

EMERGÊNCIA é sempre uma boa OPÇÃO quando se esta sem saber que rumo tomar. Ela coloca nossos pés no chão, acalma o coração e alinha os pensamentos para darmos o próximo passo.

Quando se esta passando por momento de intenso medo, sem motivação aparente, que  levem a ter pensamentos de aflição extrema, angustia e de morte, como a que vemos nas já descritas síndromes de pânico.

Reverter este quadro não é nada fácil, por isso as quadro gotas da Fórmula da EMERGÊNCIA irão trazer a realidade de volta. Ou seja, nada do que esta fantasia de morte momentânea esta pintado é verdade, pode-se concluir isso e então a crise começa a abrandar.

Esta fórmula deixará com isto os pensamentos mais estabilizados, logo a respiração ficará bem mais compassada, então o coração voltará ao seu bater mais natuaral, a vida começará a ‘novamente entar nos eixos’, um suspiro profundo pode vir para fora aquietando de vez todo aquele desatino. 

Em seguida a indicação da FORMULAÇÃO TERNURA é bem-vinda. Afinal, é um composto que foi elaborado para trazer mais equilíbrio ao pensamento – restaurando a paz interior, traz bondade ao próprio coração, desfazendo aquela percepção de que o mundo esta contra nós.

As crises de pânico caracterizam em certo grau uma sensação de que  o mundo todo está contra nós, tal a vulnerabilidade que nos encontramos, por isso o medo de morrer, vindo de fora e logo a seguir as sensações de mal-estar físicas tomam conta – respiração ofegante, coração acelerado e pronto pânico geral.

Esta FÓRMULA TERNURA desfaz a sensação de vunerabilidade que estava e instalando, trazendo o equilibrio e a força do pensamento da realidade, com isso a percepção de que o mundo não esta contra nós.

Com a respiação mais ‘em ordem’ tudo volta a ficar mais no lugar também coração e pensamentos conseguem …digamos se entenderem… e a vida pode  voltar a funcionar…

São Jorge e a Capadócia

Talvez só eu não soubesse que São Jorge tinha algo em comum com a Capadócia. Mas não deixou de ser uma agradável surpresa quando uma amiga me contou sobre este fato.S.Jorge
Não pude procurar antes de ir viagem sobre deste santo tão venerado, festejado, admirado, amado e sabe-se lá o que mais sentem por ele aqui no Brasil. Muitas são as casas onde sua imagem esta pendurada, fixada ou colocada em algum altar ou mesmo num cantinho do jardim tal a fé e confiança neste santo guerreiro.

Então foi bem legal saber a história de São Jorge por um morador local; o guia do grupo Muko, que esteve aprendendo português no Brasil – mais especificamente em Florianópolis cidade pela qual se apaixonou e a quem sempre se referia com carinho é que nos contou sobre o “santinho”, e nos deu o postal.

Bom, a narrativa sobre este santo guerreiro que faz sucesso pela terra-brasilis e foi associado às Igrejas Católica, Ortodoxa, na Anglicana, e claro na Umbanda.

A história – “… Jorge era um soldado romano no exército de Diocleciano, um dos bons, rapidamente promovido a capitão por sua destreza com as armas na luta pelo seu país. Com isso tornou-se ‘Conde’ exercendo a função de Tribuno Militar titulo conferido pelo Imperador”…  

“…Todos falavam que na região da Capadócia existia um dragão ‘assombrando’ a população; o falatório foi se complicando, aumento com os ataques do tal dragão aos povoados, e por fim já estava devorando os moradores de toda a região”…

 “… Jorge então decidiu ir para a região e averiguar, e assim acabou entrando para a história como o matador do dragão; depois disso permaneceu na região. Em homenagem a este soldado e bravo guerreiro que os livrou do ‘monstro’ que a tanto os amedrontava, ao morrer resolveram fazer-lhe uma homenagem dando-lhe o posto de santo do lugar”…

Assim Jorge se tornou – São Jorge, a quem a igreja católica ‘abençoo’ e nós devotos continuamos a chamar por ele, a pedir a ele, a rezar para ele pedindo para que afaste os poderosos dragões que nos perturbam o corpo e a alma. 

E, claro a festejá-lo a cada vez que obtemos sucesso na luta com estes monstros. As datas oficiais são duas – 23 de abril e 3 de novembro – Tornou-se um santo padroeiro de muitos países na Europa assim como de grandes cidades e exércitos pelo mundo afora.

A história conta outras causas sobre a canonização de Jorge como mártir católico e algumas fontes o tem seu local de nascimento na antiga Capadócia – Republica da Turquia, ao invés de ter se alojado por lá.

Enterrado em Lida cidade onde crescera com a mãe e onde Constantino imperador cristão ergueu um suntuoso oratório, com isso a devoção ao santo foi rapidamente espalhada pelo Oriente, e logo pelo Ocidente.

Para saber mais e melhor sobre Jorge o soldado guerreiro é só fazer uma visita em algum site de pesquisa e ficará por dentro de toda trajetória da sua vida de soldado, mártir, matador do dragão da Capadócia até sua ascensão a santo. 

A nós resta apenas saudá-lo – Salve Jorge!!!

Vovô e Vovó

imagesSA4QBKLM Amor dos avôs!

Um amor, sem dúvida… mas no mínimo diferente.

Que amor é este afinal, tão diferente e tão igual?

Talvez porque estejam amando desmedidamente pela segunda vez!

Tão intenso como mãe quando da primeira vez

e tão imenso e descomprometido como avó na segunda vez!

Hum…será mesmo???

Tão longe e tão perto, de repente?

Vamos lá…

Uma lenda, esta é de fabricação familiar – daquele tipo que crescemos ouvindo, e que não se não pode ter certeza total, pois lenda pessoal é formada por um punhadinho de lembranças, de um apanhado de verdades e pitadas de imaginação nossa e do “entorno”. Afinal cada um que conta a história para a criança conta com suas próprias impressões dos fatos e lendas pessoais também, daí o “imbróglio”.

O certo é que eu sonhava com uma avó, procurava por uma avó, e que com este desespero para ter uma avozinha chamava as amigas das minhas tias mais velhas de avó. Mesmo que nem fossem ainda senhorinhas, com idade para serem avós!

Parece que perguntava se era a minha avó. Então em um conselho de família para resolverem estes vexames simplesmente apelidaram a irmã mais velha de minha mãe de Avó. E assim meus grilos com a falta inconcebível de avó passou. Finalmente tinha uma para chamar de minha!

Tal a importância desta figura na vida de todos, que resolvi escrever sobre elas nesta data que se comemora o dia não das avós, mas dos avôs também. Para quem não sabe ou não lembra a aniversariante do dia 26 /julho é Santa Ana avó de Jesus. E São Joaquim o avô. e neste domingo comemoramos os dois juntos. Diz a folhinha!

De lá para cá já vi muitas avós, e avôs! Aqueles seres que realizam sonhos, já que a responsabilidade de criar, educar etc… é dos pais!

Por isso, os avôs se divertem mais e são leves no trato com crianças embora tenham seus limites, as avós por sua vez, tem outra postura, claro enxugam a baba “bem rapidinho”, para que possam ajudar com o bebê.

Porém algumas dessas avós começam ficando apavoradas com a possibilidade de não terem o mesmo coração amoroso e pronto para tudo que der e vier para os netos do mesmo modo que tiveram para os filhos.

O medo do novo, aquele que sempre nos assusta seja lá em que assunto for, e aqui porque deveria ser tão diferente? Afinal o bebê nunca viu a avó, e a pergunta é a mesma: – será que irá gostar de mim como avó? Será mesmo que existe isso de amor à primeira vista entre bebês e avós? Não deixa de ser um novo encontro. Será que vai gostar desta figura? Será que vai rir ou chorar ao vê-la?

Agora cá para nós existem avós que parecem ter nascido para tal, o papel lhes cai muito bem, como “papinha e fome”. São muito animadas e capazes de brincar e bagunçar como só mais uma das crianças. E não exatamente como uma “senhora de idade”, uma avó. É muito divertido ver isso e ouvir estas histórias entre netos, netas e avós.

Parece que sempre tem algo de inesperado, nelas tanto para as crianças como para as avós; que com mais experiência e visão de futuro, estas adoráveis criaturas podem ensinar com mais facilidade submetendo-se às brincadeiras do que quem precisa educar “vigorosamente”, onde existe “certa tensão no ar”.

O cuidado que todos os avôs precisam ter é do “Bubble Filter”, ou seja, ficarem obsecados pelo assunto, e a vida passar a rodar só dentro desta bolha que é o mundo dos netos. Se acabarem por esquecer todos os outros assuntos pertinentes a vida adulta acabam por se tornarem sem vida própria e quando ficam sozinhos se sentem vazios e cada vez mais necessitam de novas “coisinhas, “fotos e fatos”, gracinhas e gracejos, babinhas e tudo mais e mais, insistente e incessantemente de novidades dos bebes, o que nem sempre é possível por parte dos demais.

Isso pode se tornar muito doloroso, sofrido, angustiante, causando dor ao invés de trazer a alegria esperada só acrescenta aquela pitada de aflição diária, quando se espera notícias que não chegam.

A grande sacada afinal é apenas lembrar-se da necessidade de continuar tendo a vida que é sua, acrescida de uma  nova vida!

Ternura – É a formulação das Essências D’Água que vai manter seu coração batendo no ritmo e seu pensamento equilibrado, com paz interior mesmo sem tantas notícias, mas mantendo os corações em tamanho gigante para ambos!

TERNURA – Você a viu por aí – por onde anda ela?

Pouco se fala ou nada se fala sobre ternura ultimamente. Ela é nossa, e está em Versão 2nós só anda meio sem brilho por agora.

De tão pressionados que estamos e nos sentimos pelos acontecimentos da sociedade de hoje, que se impõe com uma crueldade nua e crua de todos os complexos dias de hoje.

Uma avalanche de acontecimentos desastrosos que os noticiários nos trazem diariamente e por várias vezes ao dia, com as novas da política brasileira que a cada momento aparece com uma novidade, seja nos mensalões, “petrolões”, delações, agora no tapetão verde do futebol e, claro, com as inúmeras prisões que estão acontecendo a todo momento, são tantas que já faltam cadeias!

Nossa vida tem outros lados, onde trabalhamos e onde vamos descansar como em casa, e lugares onde vamos nos distrair e passear nas ruas, parques, praias, ciclovias – que é a bola da vez em Sampa. Mas todos estes lugares andam bem perigosos. Alguns desastrosamente brutais. Pergunto-me com tudo isso, onde foi parar aquela bondade que existe nos corações onde habita a ternura e a amorosidade. Onde estar junto com outras pessoas não signifique estar de sobreaviso o tempo todo.

Como praticar amorosidade se cada vez mais estamos em estado de alerta, estressados e amedrontados, até mesmo “furiosos” com os vexames e escândalos de toda a sujeira que está aparecendo ali nas pontas do tapete?

Desânimo e desesperança batem bem no fundo, mas a ternura continua lá bem dentro de todos. Difícil é parar de pensar ou sentir que o mundo não está com nós. E que podemos nos manter no equilíbrio. Que amorosidade permanece mesmo nestes momentos de crise.

A ternura pode começar conosco, nos cuidados que precisamos ter, ou até redobrar nestes momentos, para não deprimir, para não colocar mais lenha na fogueira. Generalizar a situação ou a índole das pessoas nos leva a um estado de espírito muito desanimador.

Estar de bem consigo mesmo, fazer a sua parte, ter a sua mente aberta ao positivo é o deve contar primeiro; o que o outro faz ou como fez sacanagens só trará desassossego, então continue o seu caminho.

Não deixe de dar bom dia! Nem de pedalar numa bike, talvez vários pequenos pedaços de corajosos acabem formando um corajoso inteiro, e traga um passeio de paz ao grupo.

A falta de amorosidade desune as pessoas e certamente afasta os elementos do grupo e da família. Mas em primeiro lugar, afasta-nos de nós!  Antes de falar sobre ternura é preciso voltar a sentir ternura, trabalhar a ternura em nós, experimentá-la conosco.

Então, vamos pensar um pouco. Proponho duas perguntas mas por favor podem pensar em outras…

Quando teve um ato de Ternura com você mesmo?

E a outra:

Quando foi a última vez que você foi “Terno” consigo mesmo?

Para se sentir pleno de TERNURA e entender que o mundo não está contra você e que o equilíbrio e a paz podem estar a seu alcance, 

é só clicar aqui 

http://www.essenciasdagua.com/formulacoes/ternura.php

Comprar é na loja virtual –  http://www.loja-essenciasdagua.com/

ENVELHECÊNCIA – “O Ônus de viver muito!”

Stand up padleAlguém já disse que o ônus de não morrer cedo é ter que envelhecer, e isso significa fazer muitos ajustes enquanto o tempo passa.

E põe ajustes nisso! Seguir a vida dá nisto, fazer adaptações de tempos em tempos. Nem sempre de nosso agrado, nem sempre por nossa vontade livre e espontânea, mas por necessidade.

Num dia é um óculos para perto, porque o braço ficou curto, para esticar o livro e poder ler com clareza. No outro talvez a pressão que dispara para além das nuvens, e, dá-lhe remédio!  No hemograma uma surpresa, coisas e mais coisas alteradas… colesterol – trigliceres – ureia – e vá saber mais o que.

O coração abalado pelas artérias poluídas, leva um choque, e o pacote acaba por vir completo com o passar do tempo, melhor dizer dos anos. E sendo assim a caça às bruxas começa!

Tudo que foi deixado de lado agora tem prioridade máxima! Desde aquela dorzinha na lombar que sempre esteve ali presente, agora começa a ficar mais forte, o joelho dobra, mas… para desdobrar já é outra história!

Tudo que se fazia super fácil e bem de repente, fica mais custoso, para alguns até penoso. Os médicos começam a lhe dizer – faz parte! Caramba, e dá-lhe refazer o dia-a-dia! O que se fazia por lazer se torna uma necessidade diária. Caminhar por exemplo, nada de correr, caso contrário os joelhos e as grandes articulações estouram de vez.

Daí para frente tudo muda conforme o tempo passa, mais e mais emoções entram na lista. Então a consciência de uma nova vida e a necessidade de adaptação vem com força total. Fazemos por merecer e vamos à luta.

A vida não é para principiantes e envelhecer de bem com ela então nem se fala. Tem que se preparar, porque não é fácil! O principal e talvez o mais difícil é entender que agora é diferente, e aceitar isso é o começo.

Assim pode-se iniciar os cuidados com a saúde global na idade que está sem mais nem menos, consciente do que se pode ou não fazer para realmente estar de bem com tudo que a vida ainda tem para oferecer por um tempo indeterminado.

O que não se pode é de se dar por vencido. Algumas coisas deixam de existir para que outras se tornem a bola da vez. Um documentário entrou no circuito breve e estará nos cinemas e em outubro na TV Cine Brasil – sobre seis pessoas que depois dos 63 anos – 70 anos – e assim por diante que resolveram aprender a surfar, fazer tatuagens, namorar ou ainda dá aulas de judô, e outras coisas bem legais. Um drama documentário sobre a vida de que não se deixou abater pela idade, pelas dores que ela possa causar, e tocam a vida para frente. Nome dele é “ENVELHECÊNCIA” 

Mesmo que com mais dificuldade que com vinte anos a menos a vida pode dar prazer para que não pode desfrutar de determinadas coisas naquela época, como contam estas pessoas do “docu-drama” que estará por aí em breve.

Se isto fará parte de sua vida breve ou já faz, deixe de lado as reclamações, tome as medicações necessárias, faça o que for preciso para que possa desfrutar o que a vida tem para lhe oferecer a partir de agora.

Com o que tem agora, corpo e idade de hoje, mas a alma tenha certeza é a mesma! É a sua, então desfrute… a vida continua mesmo depois dos 50…  Faça seus ajustes, esqueça o tricô e quem sabe consegue curtir um stand up padre nas águas calmas do mar, posso garantir que este é moleza!…

Para ajudar nesta fase Essências D`Água tem a formula certa – MATURIDADE – http://www.essenciasdagua.com/formulacoes/maturidade.php

Ou ainda ligue e marque uma consulta – 11 3032 2456

Santo Antônio ou São José?

santo AntonioCoitadinho de São José!

É sim, não é brincadeira. Ele é sempre a bola da vez. Melhor dizer que nesta data ele é a bola da vez. Mas me parece que, na verdade, só ele tem vez. Como comemoramos o dia de Santo Antônio logo a seguir ao dia dos namorados, as esperanças dos que não têm um amor ainda recaem sobre ele; com muita força.

Soube, porém, por dona Yolanda a mãe de uma amiga, que Santo Antônio é bom mesmo em encontrar as coisas perdidas; a quem, aliás, recorre juntamente com nosso já conhecido São Longuinho – para se colocarem atrás de tudo que perdemos; e, talvez venha daí mesmo como disse um historiador carioca no Jornal da Tarde, se bem me lembro, a fama deste santo, que ele encontre os amores perdidos também, ou até mesmo aqueles que nunca foram encontrados, digo antes deste dia do santinho!

Agora, segundo esta senhora que estuda e por isso entende muito de muitos dos santos da igreja católica em questão, quem deveria ser reverenciado nesta data ou para estes assuntos de cunho amoroso ou de situação familiar ou sobre casamento é outro santo bem mais capacitado que Santo Antônio – que nem casado foi, diga-se de passagem!

Quem realmente é o cara que entende disso, aquele que faz a festa nas famílias e nos lares, que une realmente os casais, pois é ele que assume os compromissos sem olhar o peso e a responsabilidade que tem e traz em si; aquele que não pensa na força e na coragem necessária para formar uma família, ou leva-la adiante, quem mais senão São José.

Ele mesmo, o pai de Jesus, ele é o patrono da família, é que quem quer casar deve evocar e chamar. Quem formou uma família, sem muito questionar, aceitou a missão e a abraçou a causa e com ela seguiu até o final.

Se existe um Santo em quem se pode confiar nesta situação com certeza não é Santo Antônio, mas sim São José, confie e verá; disse-me a senhora que contou toda a história.

Então, hoje sem tirar a vez de Santo Antônio, afinal foi aniversário dele ontem, que sempre foi um santinho e que sempre foi muito reverenciado em casa e todo lugar, estou só colocando uma nova possibilidade para quem estiver querendo fazer mais uma “fezinha em mais um santo” e encontrar a alma gêmea.

Não esqueça faça a escolha de uma carta no TAROT das ESSÊNCIAS D’ÁGUA e veja o ela revela para você!
www.essenciasdagua.com/  
ou click direto BEM aqui
http://www.essenciasdagua.com/escolha2/escolha2.php