Blog das Essências
Blog das Essências
Blog das Essências

Na certa são tempos difíceis!

Na certa precisamos aprender algo com tudo isso. “Para o mundo que eu quero descer”; esquece já passamos do ponto. Só se pode descer quanto tudo isso acabar.
Na certa precisamos ter algo assimilar depois de tanto isolamento juntos, outros separamos, outros em paz, e muitos envolvidos em pequenas / grandes guerras particulares.
Na certa precisamos entender mais profundamente no que nos metemos momentos antes desta história toda começar. Tão esquecidos do que realmente é importante no dia a dia.
Na certa precisamos rever todas as relações com o todo. Começando por nós mesmos, caso esteja difícil de fazer companhia a si mesmo, talvez seja porque esta faltando mais de você em você mesmo, o que certamente deixa tudo bem pior para encarar o #fiqueemcasa. Afinal, o #fiquecomvocê pode ser devastador.
Na certa precisamos evoluir em alguma coisa ou coisas. Para tal é preciso repensar muito daquilo que somos. O que nem sempre é fácil. É mais ou menos como limpar armários. Se não olhar atentamente para cada peça de roupa e pensar o quanto ela ainda o representa, não poderá tirá-la de lá.
Na certa precisamos filtrar o que escolher daqui para frente do tudo que somos, e isso é terrível; cada escolha vem com um acompanhamento que não se pode dispensar.
 Na certa precisamos usufruir de uma forma diferente a liberdade quando esta “joia estiver novamente disponível”, num futuro breve. Refazer os caminhos tão simples como o poder que nos é garantido pela vida simples, aquele de ir e vir, sem restrições.
Na certa precisamos viver com mais consciência do todo, começando por si mesmo, passando por cada um dos outros que estão próximos, para tal precisamos de reavivar a empatia, a tanto tempo esquecida, quanto mais empatia
usamos, melhores podemos ser.
Na certa precisamos resgatar aqui / agora algumas coisas importantes que com o passar “dos tempos ou das vidas” fomos deixando pelo caminho.
Na certa precisamos repensar quem e o que vamos nos tornar quando sairmos novamente para a convivência diária com o planeta, com o próximo e consigo mesmo. Tempo para pensar estamos todos tendo.
Na certa precisamos acreditar que menos podemos sair deste distanciamento social mais conscientes, e quem sabe até mesmo mais felizes

De que lado do funil escolhemos olhar?

Acontece comigo o tempo todo, fico paralisada diante de um problema que a primeira vista parece sem solução. Mas aqui cabe uma reflexão! Existe algum problema que logo no primeiro olhar não nos pareça um problemão?

Cada problema ou todo problema sempre irá causar um desassossego em nós, afinal ele quebra a nossa tão idolatrada comodidade, por isso costumamos achar que são enormes os ditos cujos problemas.

E no fundo… Pelo menos meia dúzia deles será preciso resolver todos os dias logo no período da manhã, para não pesar muito com os que virão com certeza fazer parte de nossa agenda no período da tarde e quem sabe pela noite adentro!

Pessimismo, não – não nada disso! Tudo irá depender de que lado do funil você estará olhando!

Estar vivo é estar em movimento!

E enquanto estivermos vivos estaremos querendo coisas que nos faça nos sentir bem. Então é aí que mora o perigo, primeiro é sempre a expectativa, esta tem relação direta com o que quero e com que posso realizar – “Se ambas não estiverem de acordo… terei um problema”, bem aqui.

De que lado do funil você esta olhando agora…

Proponho este livre pensar aos clientes,  quando estão concentrados ou fixados num único problema. Sem conseguir olhar para o lado ou à frente. Só enxergam o caos ali adiante, e claro quando estamos nesta fase, absorvidos pela espiral que um grande problema traz e não conseguimos ver saída.

Por isso peço para que virem o funil e olhem pelo lado pequenininho não mais por aquele que converge nosso olhar para um único ponto, aquele que nos dá um ponto exclusivo de foco – neste caso o problema.

Penso que se focarmos demasiadamente o problema com certeza nós deixaremos de encontrar as soluções. Pelo simples fato de não estarmos mais atentos ao todo.

Parto de um princípio básico de que se existe um problema há pelo menos uma solução, o negócio aqui – durante o caos – é ter esta certeza e criatividade para encontrá-la.

Ao olhar pelo outro lado do funil, do “furinho para a boca” – ou seja, para a parte larga dele, podemos ver de uma área bem maior, isso nos dará mais saídas de escape e então mais soluções possíveis aparecerão com certeza. Mais chances de dar a volta por cima de qualquer problema que estejamos enfrentando.

Quando “co criei” com a natureza as essências vibracionais da mina dágua e do caranguejo, foi justamente baseada neste princípio.  Deixar o piloto automático de lado e escolher melhor os pensamentos!

A primeira essência Mina Dágua é aquela que vai colocar nossa criatividade para trabalhar e assim ir quebrando os padrões de pensamentos “achatados” que sempre preferem surgir rapidamente para dizer que não tem saída para tal problema, cocriei.

segunda essência do caranguejo-esponja  que é um ser bem criativo, ele recorta a esponja para se camuflar e chegar ao seu objetivo, a satisfação de sua necessidade básica alimentação. Nós usamos as camuflagens como forma de não precisarmos encarar  dificuldades e enfrentar o problema rapidamente.

Esta essência nos mostrará que fazemos das situações limitantes a “justa causa dos sofrimentos que é estar vivo” e usar isso como uma desculpa para não encarar e resolver problemas ou pior se tornar apático e aos poucos ir deixando de querer para não ter que se mexer e ter trabalho com as realizações.

Vida é movimento e realização então, vamos ficar atentos para sacar de cara por qual lado do funil nós estamos olhando e conscientemente optar pela mudança ou não.

Para saber mais e melhor sobre o caranguejo-esponja visite o site https://www.essenciasdagua.com/ , mas tudo mesmo sobre destas duas essências estão nos livros que você pode adquirir pelo e-commerce na www.loja-essenciasdagua.com/Mina Dágua está no 2º livro ‘Essências Vibracionais D’Água’ e Caranguejo-esponja esta no 3º – ‘Mar de Noronha e outras Águas’.

Esperança e Sonho

…”E o mar trará a cada um de nós esperança,  assim como o sono nos trará o sonho”…  – Cristóvão Colombo –

Não consegui encontrar onde esta frase foi realmente escrita ou dita por Cristóvão Colombo, nos lugares onde fui procurar não tive muita sorte, não teve jeito. Porém, isso pouco ou nada importa, o mais significativo aqui para mim é o que esta frase pode nos dizer em todos os momentos da nossa vidinha.

Será realmente que só o mar pode nos trazer esperança? Como trazia a cada navegador da época de Cristóvão Colombo, a cada partida das caravelas ao mar sem fim, a esperança se renovava com a mais remota possibilidade da descoberta de um novo caminho, de uma terra nova, um mundo novo.

Com este pensamento, me pergunto – será mesmo que só o sono poderá nos abrir as portas para que sonhos possam tornar-se uma realidade plausível no dia a dia? Ou será que sonhar é uma vantagem a ser trabalhada em nossas cabeças, para que a “fábrica de sonhos” nunca deixe de funcionar, jamais pare de ter ideias a alcançar, além disso, deixar metas por realizar não é uma boa pedida.

Sonhos e esperança andam juntos pela vida afora, seja dentro das caravelas de Colombo ou no embalo da própria cama na hora de dormir em casa; o que conta é não deixar desvanecer todas as possibilidades de realizar o que se quer. Não se esqueça disto.

É preciso não se acostumar com as coisas que o tempo tira de todos nós; por conta disso, é mais que prioritário ter a caixinha dos sonhos sempre à mão e em bom estado, aliás melhor ainda será em constante uso. O tempo não pode roubar a esperança de fazer a vida ter mais gosto, mais sentido, brilhar a cada novo dia. No mar, no ar através de um balão ou até mesmo numa lasquinha de algo que até, então, só pertencia a imaginação.

Cada um tem que alcançar seus próprios objetivos; como numa missão ele terá de que ser conquistado a cada passo, se é o que se quer, então é o que se deve fazer. Nesta caminhada podemos até não descobrir novos mundos como Colombo, porém, a vida tem mais sabor quando usamos a imaginação para realizarmos os sonhos que queremos transformar em sucesso na nossa realidade.

Desejo a todos nós que não nos falte nunca sonhos e esperança!

Luz no fim do Túnel

Click para ampliar! **

Dados geográficos

ARQUIPÉLAGO FERNANDO DE NORONHA

Pedras Secas, uma formação rochosa, localizada no ‘mar de fora’ em Noronha. Estas pedras permanecem aparentes a onda bate e sempre podemos vê-las, da ilha.

A essência

A proposta desta Essência é levar cada qual a fazer suas próprias travessias. Mover-se através do túnel ou das dificuldades é como acender uma luz na escuridão.

Para sairmos do escuro do túnel é preciso caminhar para a luz e tomar consciência de que serenidade nos levará para ela. Fazer os ajustes necessários para encarar as novas situações, não é destruir-se, mas sim acostumar-se às novas prioridades, e isto é cresceré viver melhor.

Citrino

Clique para ampliar a imagem.*

Dados geográficos

VALE DO JEQUITINHONHA – Minas Gerais – Brasil

A essência

Sendo revigorante e por atuar no plexo solar, a Essência Vibracional de Citrino proporciona a digestão e assimilação psíquica, ensinando-nos a fluir com energia na vida. Traz a clareza mental para analisar cada situação sem tanto envolvimento emocional.

Também no físico a essência de citrino combate disfunções digestivas, regulando o funcionamento dos órgãos, atua sobre a má digestão, prisão de ventre, diabetes, infecções renais e da bexiga, males do fígado, vesícula e pulmões. Pode assim amenizar o stress.